Como o estado de presença nos ajuda na produtividade


Já se sentiu empacado, não conseguindo enxergar soluções para uma situação, seja no trabalho ou na vida pessoal?

Recentemente eu estava bastante preocupada com uma questão familiar e só conseguia encontrar uma solução que, sinceramente, não era a ideal, o que me deixava mais preocupada ainda e consequentemente com menos abertura para encontrar caminhos alternativos. Sim, o estado de ansiedade gerado pela preocupação excessiva gera bloqueios!

Com a cabeça cheia e a frequência mental altíssima, a falta de perspectiva é certa e isso também acontece na nossa vida profissional. Mas, como resolver isso?

De uma maneira simples e desafiadora – acessando nosso estado de presença. Essas oscilações mentais que nos levam para o futuro e o passado nos limita um olhar mais amplo. O estado de presença nos permite um espaço para que insights surjam em momentos que menos esperamos. A questão é que precisamos praticar essa habilidade, a habilidade da presença.

É como se as situações vividas por nós fossem um quebra-cabeça gigante de 500 ou 1000 peças. Quando você abre a caixa, se depara com aquelas pecinhas pequenas, coloridas e com formatos parecidos. Nesse momento, já bate certo desespero e uma mistura de empolgação com desconfiança e receio – será que vou dar conta disso?

Com muita calma, você respira fundo e pensa num método que funcionará melhor para você começar o desafio de montar aquela paisagem que se encontra na capa da caixa. Geralmente começo pelas bordas e vou escolhendo pedaços do desenho para observar e ir montando por partes. Até aí, relativamente fácil.

O desafio é se deparar com peças de cores e formatos que parecem se encaixar perfeitamente em um ponto do quebra-cabeça. Você coloca ali aquela peça e sente um conforto porque acha que encaixou...mas...no fundo, algo está errado...parece certo, mas poderia ser melhor, com um encaixe mais preciso e uma harmonia no desenho. Contudo, reconhecer isso te coloca no mesmo ponto de antes, ou seja, sem solução para o problema e implica em desapegar e aceitar...não dá para forçar a barra!

Esse momento é crucial. Podemos desistir. Podemos perseverar. Continuamos do mesmo ponto? Ou mudamos de estratégia? Independente da decisão o importante é que, ao fazer o exercício de montar o quebra-cabeça, estamos trabalhando o foco e isso vai proporcionando o espaço que precisamos para ter a clareza mental necessária. Quando vemos, no meio daquelas muitas peças nosso olho enxerga aquela que é!

Usei o exemplo do quebra-cabeça como analogia para mostrar como o treinamento de fortalecer a atenção plena nos ajuda a ter essa clareza mental para o encontro de soluções! Ela pode ser exercitada através do Mindfulness, do quebra-cabeça, de uma atividade física como uma corrida ou uma natação. O importante é que, todos os dias, a gente abra espaço na agenda para pratica-la, pois somente assim colheremos os frutos no nosso cotidiano.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo